Rafinha Bastos lê o Qual é o Link!

Quando a gente pensa que ninguém lê nosso blog, eis que surge o Sr. Ninguém. O nome dele é Rafinha Bastos que leu a Coluna do nosso querido tamburete do Alto do Bode, Gilliard Barbosa. E temos provas! Ele até, gentilmente, agradeceu em seu twitter! Olha aí MÃEEEE!! Estaríamos nós ficando famosos? Ou não?

RAFINHA BASTOS lê sim o Qual é o Link? – pelo menos uma vez! Valeu Rafa.. (intimidade)

Anúncios

Coluna do Gilliard: Um pânico, ser fã do Rafinha?

By… tinga do Gilliard Barbos (@GilliardBM)

Nunca fiz uma coluna antes na vida (espero ter acertado, na mistura de cimento, areia e cuspe).

Então vamos lá, duas, três, meia e já.
Do latim fanaticu, que significa: 1 Que, ou o que se julga inspirado por uma divindade qualquer. 2 Que, ou o que se apaixona demasiadamente por uma causa ou pessoa.

Entendo bem o que se é sentido (ai que gay!), em se tratando da relação fã-ídolo-tiete-adjacências, eu admiro de verdade a unanimidade que é, todos os fãs do Restart, Luan Santana e Ketty Perry serem meninas.
Venho com isso, tornar ao público do Qual é o Link (tem quem leia?), que sim eu tenho meus ídolos, e digo mais, saibam todos vocês meus amigos próximos, distantes, que eu já tive a oportunidade de dizer pessoalmente que era fã, desculpem, as vezes eu não falo coisa com coisa. Brincadeira, é sempre. Pois, bem.
Sempre fui meio que ignorante com meus ídolos (é sempre o contrário), pois uso a seguinte teoria, por exemplo: sou muito fã de um determinado cantor, daí eu encontro com ele, como eu não sei qual será sua reação, evito a tietagem, vai que por algum motivo ele me destrata, prefiro continuar admirando o trabalho dele, do que arriscar.

Enaltecerei um deles, hoje.
Soube do @rafinhabastos depois que um amigo mostrou um vídeo em que ele fazia um troço brincando com a cantiga “Nana nenê, que a cuca vem pegar”, troço esse que só depois eu soube que se tratava de um gênero chamado Stand Up Comedy, já a cantiga devia ser alguma preparação dele pra posteridade.

Confesso, foi fanatismo à primeira vista.
Depois disso fuçei tudo que era vídeo dele no youtube, inté comercial de uma certa marca de cerveja que desce redondo eu vi, depois como todos os viciados (limpinhos, claro) passei a ser um telespectador assíduo do Custe o Que Custar, que além dele tinha um tal de @DaniloGentili e vi o que na minha opinião eu o tinha como o melhor programa de televisão dos últimos dez anos.

E todo fã ridículo que se preze, tem uma história ridícula, não fujo à regra.
Em dois mil e nove, meu velho estava internado, quando eu soube que os Standapers que admiro estariam aqui em Fortaleza, não contei pipoca (mentira! contei os trocados), fiz o seguinte, fiquei de acompanhante do senhor meu pai no hospital sábado e no domingo, seis de setembro de dois mil e nove, levei mulher e minino pra ver comigo A Arte do Insulto.

Venho acompanhando sua carreira ao longo desses anos, e brinquei no twitter quando o vi, pedir desculpas a Daniela Albuquerque. E depois do episódio com a cantora como ele assim profere nessa entrevista concedida ao programa Roda Viva, pude perceber o quanto ele é descontrolado e o quanto sou mais ainda seu fã. Confesso que deixei de assistir o cêquêcê, depois de seu afastamento, só voltei a ver o pseudo humorístico com a estupefaciente estreia do @MauMeirelles do qual sou bastante fã. Numa situação fanática com o último ídolo citado usei o seguinte argumento (via do twitter), “Cabrero de pedir pro @MauMeirelles autografar um livro. Do nada lembrei do Mark Chapman vô pedir então!!!”
Funcionou!

Antes do SNL, por longo tempo pensei que o Pênico na TV fosse minha única opção a não ter que assistir o Fantástico Espetacular, embora sempre soubesse que o Pênico era pura armação nada ilimitada. Ainda assim o via, pois admiro o Carioca, que na minha humilde opinião leva nas costas… o Pênico.

E qual é o link de uma conversa com outra?
Nenhuma!
Na verdade é só pra registrar aqui que deixei de assistir o Pênico, por conta da sacanagem bemfudidex que fizeram com os internautelespectadores no dia vinte e dois de julho, quando usaram uma farsa que usa o nome do “oh pai” pra escolher o novo dono do perfil.
E se com isso vocês pensam que estou de mimimi?
Sim, estou!
É isso.

Afagos (soou viado?)

P.S.1.: Sou muito fã do Rafinha, sou tão fã que se eu tivesse dois cuis, eu… ia procurar tratamento, pois não deve ser algo normal.
P.S.2.: Sou mesmo fã, só Deus pode me julga (sem o “r” mesmo).
P.S.3.: É Playstation 3.